sábado, janeiro 30, 2010

Nacional - FC Porto, 0-4

O campeão tem destas coisas. Ora faz um jogo mau, ora faz um jogo excelente. Tem sido assim ao longo desta época. Não se trata de ter uma má equipa, trata-se de não ser consistente quando os adversários estão ligeiramente melhores.

Hoje, frente ao Nacional da Madeira, num jogo em que perder era cenário proibido, o FC Porto fez um excelente jogo. Soube ter a bola, impôr o seu ritmo ao jogo, manter o ritmo depois de marcar o primeiro golo, no fundo, soube ser a equipa que nos acostumou.

Para este ciclo de jogo que agora começa, onde se vão decidir, ou não, algumas das competições da época, esta vitória foi importante. Mais do que manter a distância pontual para os primeiros classificados da liga dá moral para que a equipa possa jogar com a tranquilidade necessária para atingir os objectivos.

O Ruben Micael está a revelar-se uma excelente contratação. Joga e faz jogar. Os que coabitam no seu espaço de terreno sabem que têm ali uma fonte que faz jorrar bom futebol.

«Acho que até ao momento em que o Porto fez o primeiro de penalti, da qual saiu uma expulsão, tinha sido melhor, com o domínio do jogo. Tivemos uma maior intensidade e três ou quatro situações em que poderíamos ter feito um golo. A partir dai o jogo tornou-se diferente, mas acho que soubemos jogar contra uma equipa boa mesmo em inferioridade numérica, continuar a ser humildes, coesos e unidos. Na minha opinião, fizemos um muito bom jogo na primeira parte e menos conseguido em termos de qualidade nas acções ofensivas na segunda parte. É que o encontro depois só teve um sentido. Foi um Porto muito bom na primeira parte e que transformou um jogo difícil, pois fácil nunca o é, mas conseguimos transformá-lo numa partida mais fácil.»

(Jesualdo Ferreira in MaisFutebol)

E como agora isto não pára, segue-se já o Sporting, na terça-feira, para a taça de Portugal.

Força FC Porto.

7 comentários:

low desert puke disse...

Anàlise incompleta. Gostaria que escrevesses um ou dois paràgrafos a comentar a arbitragem. Hà tomates para isso?

Marco Ferreira disse...

low desert puke

Não me debrucei sobre as contingências do jogo, apenas sobre o modo como o FC Porto jogou, pelo que não falta análise à arbitragem.

A análise eu deixo para os paineleiros.

Aconselho-te a procurar um prontoário para te ajudar a escolher os acentos nessas palavras.

Volta sempre, é sempre bom ter uma voz crítica neste espaço.

low desert puke disse...

Impossivel de contornar é o facto que o porto sò conseguiu manter o ritmo de jogo com um homem a mais. Nao menos incontornàvel é o lance que dà origem ao primeiro golo, sò mesmo em portugal é que aquilo é penalty. Sobre isso devias pronunciar-te. Visto que estas duas situaçoes condicionaram incomensuràvelmente o jogo apresentado por uma e outra equipa. Concluindo-se portanto que a tua anàlise é (propositadamente?) incompleta, logo nao é verdadeira.

Imagina um juiz mandar um gajo para a cadeia porque este viu um homem morrer numa passadeira, esqueçendo-se que o gajo que presenciou a cena estava no passeio e portanto nao era ele que ia ao volante. Mas o juiz nem procura saber isso. Seria altamente injusto nao achas?

Sobre os acentos tenho a dizer que vivo em Bergamo, no norte de Itàlia e o alfabeto italiano nao compreende todos os acentos que existem na lingua portuguesa. O que me obriga a escrever nesta maneira meio atabalhoada.

dragao vila pouca disse...

Não é um jogo que muda tudo, mas os sinais foram bons. Recordo que já tinhamos dado sinais parecidos, quando do 1-4 em Guimarães e 0-3 em Madrid e depois foi o que se sabe. Portanto, nada de embandeirar em arco, mas espero, esperamos todos, que este jogo seja o ponto de partida para uma 2ª volta à altura dos pergaminhos do F.C.Porto, que não pode ganhar sempre, mas tem de lutar sempre pela vitória e discutir, sempre, o título até ao limite. Não está no nosso ADN baixar os braços antes do tempo. Serve para todos: dirigentes, técnicos, jogadores e adeptos.

Um abraço

Marco Ferreira disse...

low desert puke

Mais uma vez digo que deixo as análises aos lances que citas para os paineleiros. Esses é que incansávelmente vão analisar os lances críticos.

Penso que no lance que dá a grande penalidade ao FC Porto o "simples" facto do jogador do Nacional movimentar o pé de encontro ao pé do Álvaro é, por si só, passível de falta, o que dentro da área dá grande penalidade. Aqui e em qualquer parte do mundo.

Curioso é o facto de noutros jogos, em que também faço as minhas "análises", onde o FC Porto foi claramente prejudicado (e não sou só eu que o digo) não haja este tipo de comentários e solicitações de análises.

Volta sempre.

low desert puke disse...

Primeiro, começei hà poucas semanas a frequentar este blog.

Segundo, estarei atento a essas anàlises, assim como as de outros jogos, no futuro.

Terceiro, poderias fazer uma lista desses jogos onde o porto foi tao claramente prejudicado? Ou pelo menos os links onde falas nesses jogos.

low desert puke disse...

Entao essa lista de links?