segunda-feira, março 08, 2010

Recordar ...

«Dragões jogam em Inglaterra seis anos após o empate que foi como uma vitória em Manchester. Nas escolhas de Jesualdo Ferreira para Londres, há um sobrevivente dessa noite mágica, Nuno Espírito Santo.

Amanhã, às 19.45 horas, quando o FC Porto iniciar o jogo no Emirates Stadium, em Londres, com o Arsenal, cumprem-se seis anos exactos sobre uma noite épica para os dragões: o jogo com o Manchester United, que terminou empatado a um golo (Costinha), arrumando assim com um gigante e tornando-se candidato a vencer essa edição da Champions, como viria a acontecer.»


(in A Bola)

Já o ano passado, quando o FC Porto defronto o Manchester United nos quartos de final da competição, as recordações da noite mágica de 04 correram por toda a comunicação social impresa e on-line, e nos mais variados blogues se recordou os videos e os testemunhos daquela noite.

Recordar é sempre bom, e no caso do FC Porto não é dificil arranjar um denominador comum nos jogos da Liga dos Campeões. A vasta experiência do clube na europa torna as comparações um tema fácil, seja em caso de vitória azul e branca ou de derrota.

Para amanhã não quero recordar. Quero viver. Viver um novo momento, uma nova história de alegria. Quero voltar a gritar até ficar sem voz. Quero voltar a sentir toda a nação orgulhosa do FC Porto. É apenas isso que quero.

Recordar ... apenas quando contar aos meus netos os êxitos do FC Porto.

(Re-editado no dia 09-03 para correcção de data. O zero está muito próximo do nove :) mas o meu leitor de estimação não deixa passar nada em claro)

2 comentários:

low desert puke disse...

"...as recordações da noite mágica de 94..."

Mas se nem neste preciso momento te recordas jà bem do ano...FAIL!

Aos teus netos devias também mostrar as gravaçoes de certas escutas. Eles de certeza nao irao denotar a coincidencia entre as "èpocas de ouro" da tua equipa e aquilo que o seu presidente receitava a meio mundo futebolistico.

low desert puke disse...

Afinal vais recordar este jogo, vais. Mas algo me diz que nao o vais contar aos teus netos.