segunda-feira, março 29, 2010

Belenenses - FC Porto, 0-3

Mais uma vez a equipa não esteve brilhante mas conseguiu atingir o objectivo, e nesta altura isso é o mais importante.

Era dificil fazer um jogo brilhante porque o adversário estava muito fechado e em algumas alturas a equipa do FC Porto nem conseguia ligar as suas linhas como devia, mas a vontade e a preserverança levaram a melhor, e mais para o final o jogo estava mais fluído e com melhor apresentação.

A equipa mais ofensiva, a que mais procurou o golo, conseguiu ganhar, e o resultado apenas peca por escaso, havendo mais umas tantas oportunidades que até mereciam ter atingido o fundo das redes da baliza defendida por Bruno Vale.

Este que o foi o jogo, após 18 de paragem, de Hulk, o avançado do FC Porto mostrou para quem quis ver que a sua ausência da equipa podia não ter feito a diferença em todos os jogos mas de certeza que na maioria deles era mais uma pedra a ter em atenção. A manobra dos bastidores teve a sua importância, onde o único prejudicado foi o jogador e o FC Porto, e os beneficiados foram todos os outros, directa ou indirectamente.

Agora a, apenas 5 pontos de diferença do Braga, espero que esta equipa tudo faça para que se a oportunidade surgir não a desperdiçe.

«Tínhamos consciência que ia ser difícil porque era o terceiro jogo numa semana, todos eles com níveis de intensidade elevado. Na primeira parte estivemos bem, controlámos as operações. O Belenenses foi mais tímido na primeira parte, na segunda parte foi bastante melhor, mais agressivo. Sabíamos que jogar contra o Belenenses, que vinha de uma vitória e está numa situação aflitiva não seria fácil, mas o F.C. Porto deu uma resposta boa, com uma leitura inteligente. O golo do Hulk tranquilizou a equipa e permitiu que jogássemos em todo o campo. Fizemos o nosso trabalho que era ganhar. Foi um jogo em que o F.C. Porto foi uma equipa e quando assim é temos mais hipóteses de ganhar. E quando temos mais recursos também.»

(Jesualdo Ferreira in MaisFutebol)

Uma nota final.
"Vais fazer. Vamos lá que vais fazer"
Este foi, mais palavra menos palavra, a conversa que Hulk teve com Falcao após ter feito o golo. A partir daí foi ver o brasileiro a jogar para o colega para que este fizesse o golo, que acabava com o jejum de 4 jogos sem marcar. O resultado desta união, desta vontade, foi que Hulk fez mesmo a assistência para o golo de Falcao. Assim é bonito ver jogar.

2 comentários:

low desert puke disse...

Também foi bonito o primeiro golo em fora de jogo.

E todos sabemos quanto é importante o primeiro golo de uma partida quando...a Champions continua a depender de vitòrias assim.

dragao vila pouca disse...

Meu caro e estás a esquecer-te de outra assistência que o fiscal de linha, invalidou, vá lá saber-se porquê.


No regresso do injustiçado, o F.C.Porto conseguiu uma vitória natural, tranquila, sem discussão, numa exibição que não foi brilhante, muito longe disso, mas teve períodos razoáveis, principalmente quando o protagonista era Hulk.

Depois de uma vitória em Vila do Conde, para a Taça, que nos colocou com pé e meio no Jamor, agora mais uma vitória que permite encurtar distâncias para o segundo lugar e acalentar esperanças na luta por um lugar na Champions.

É pouco, estamos habituados a muito mais, mas nesta altura temos de ser realistas e fazer tudo de maneira que, se esse objectivo não for conseguido, não seja por não termos feito a nossa obrigação.

Um abraço