sábado, março 06, 2010

FC Porto - Olhanense. 2-2

A revalidação do titulo era uma mera hipótese matemática, nós, adeptos, sabiamos isso, e penso que eles, equipa, também o sabiam.

Ganhar hoje frente ao Olhanense não era apenas uma questão de somar três pontos para um campeonato que, já, não é o nosso, era uma questão de reabilitar o dragão para uma competição, que ainda é a nossa, e para a qual temos de estar na máxima força para prosseguir em frente.

Em teoria este seria um excelente adversário para a ressaca da derrota frente ao sporting, na prática as coisas não correram como se esperava.

Duas desconcentrações defensivas em menos de 5 minutos colocaram o Olhanense na frente e obrigaram o FC Porto a correr mais do que aquilo que seria de esperar. Correram, isso não se pode negar, mas a reabilitação não aconteceu, ficando ao menos o empate, o que torna a noite/tarde de hoje apenas num pequeno desastre.

Uma coisa é certa. Para quem quiser ver por esse lado, e eu sou um deles, o FC Porto lutou, correu, suou, deixou tudo em campo, na tentativa de virar um resultado negativo. Se aquilo que fez foi sempre bom, isso é outra conversa. Pelos menos tentou e conseguiu o empate, o que numa equipa que está claramente em défice daquilo que foi, não é mau de todo.

A gestão para o jogo de hoje correu mal. Já tinha alertado para essa possibilidade. Mas é um risco das gestões que as equipas que disputam muitas provas correm. Face aquilo que é neste momento os objectivos da equipa (leia-se os reais objectivos) e gestão a acontecer tinha de ser agora.

Vamos esperar que na próxima terça-feira, frente ao Arsenal, a equipa apresente no campo, toda a sua garra, a garra do Dragão, aquela garra que ao longo destes anos tantas alegrias nos deu, que tantas vezes nos fez ficar sem voz.

«Não era a resposta que estava à espera depois da derrota em Alvalade. Sabia que ia ser um jogo difícil no plano anímico, perante um adversário difícil, iríamos voltar ao Dragão e os jogadores podiam sentir esses factores. A entrada no jogo foi má e muito favorável ao Olhanense, que esta tarde foi feliz.
Mesmo assim reagimos e tivemos oportunidades para reduzir a desvantagem. Na segunda parte continuámos a pressionar, atirámos ao poste e à barra, depois marcámos, por isso acho que tivemos futebol para ganhar o jogo. As alterações que fizemos foram para dar mais largura à equipa e resultaram nos últimos minutos.
Durante os meses de Janeiro e Fevereiro fizemos jogos em espaços de tempo muito curtos, tivemos limitações ao nível de lesões e castigo, por isso a dinâmica da equipa sofreu revés e houve alguma fadiga acumulada. Vamos ultrapassar isso e estou seguro que vamos voltar a ser o que já fomos.
Vamos conseguir disputar uma eliminatória importante na próxima terça-feira e vamos dar boa resposta na Taça de Portugal e na Taça da Liga. Temos mais oito jogos na Liga e temos a convicção que vamos repor os níveis dos jogadores altos, saltar a barreira anímica, voltar ao bom futebol e voltar às vitórias.»

(Jesualdo Ferreira in MaisFutebol)

2 comentários:

dragao vila pouca disse...

Equipa sem alma, sem raça, mentalmente frágil, que entra a dormir, sofre dois golos e continua a dormir, só começando a acordar quando o jogo está a acabar...Já não tenho memória de uma despedida tão prematura do título.
Ou reagimos forte na terça-feira e conseguimos um feito, ou então este final de época vai ser penoso.

Um abraço

low desert puke disse...

"Pelos menos tentou e conseguiu o empate, o que numa equipa que está claramente em défice daquilo que foi, não é mau de todo."

Deve ler-se:

Pelos menos tentou e corrigiu o dominio da bola, o que numa equipa que está claramente em défice daquilo que foi, não é mao de todo.