terça-feira, setembro 16, 2008

Os serviços de saúde

Serve este post para dar os parabéns ao serviço prestado pelo Hospital Distrital de Faro no caso que aconteceu ontem com a minha princesa.

Não foi uma situação muito alarmante, mas não deixou de ser preocupante, e ao fim de uma hora (é verdade, apenas 1) já estava de novo em casa, com uma menina toda alegre e bem disposta, outra vez aos saltos, como é seu hábito.

Ora o que se passou foi que a minha princesa apoiou-se numa cadeira e caiu para trás, batendo com a cabeça no chão. À primeira vista até parecia que era apenas um tombo, mas depois verificámos que tinha efectivamente a cabeça partida. Não era um golpe muito fundo nem muito grande, pelo que tentámos fazer o curativo em casa. Não tivemos sucesso porque o cabelo teimava em não deixar. Depois de uma conversa cuidada lá a convenci a ir ao hospital (sim porque uma criança com vontade de ir é outra coisa).

Aqui começou a minha outra preocupação. Eram 21h30 e ia para o hospital com uma criança de 3 anos. Já começava a imaginar uma longa espera, até porque o sangue já tinha parado, e não a colocava (ainda bem) numa situação de grande emergência. Ela até estava bem disposta mas uma longa espera, ainda por cima na hora habitual de ir para a cama, podia tornar a noite num verdadeiro inferno.

Chegados ao hospital, e após fazer a respectiva ficha, qual não foi o meu espanto quando imediatamente fomos mandados entrar. Fomos para uma sala que deveria ser de triagem, depois logo a seguir encaminhados para outra onde limparam a ferida, raparam um pouco de cabelo e colocaram uma ligadura. Depois levaram-nos para outra sala, para a cirurgia, onde a minha princesa ia ser vista para se verificar se havia necessidade de levar uns pontos. E tal como disse no principio deste post às 22h30 já ela ia a caminho de casa, com um pontinho na cabeça, e com muita energia e alegria no corpo.

Muitas vezes uno a minha voz aos protestos sobre o mau funcionamento do sistema de saúde português, mas hoje tenho de tentar levantar a voz e dar os parabéns. Foi um serviço muito rápido, muito eficiente, e todas as pessoas com uma simpatia excepcional. Se fosse sempre assim tenho a certeza que não haveria queixas da parte de ninguém.

Tenho também de dar os parabéns à minha princesa, que depois do choro inicial, nunca mais derramou uma lágrima. Portou-se como uma verdadeira mulher.

Agora lá anda com um "pico" na cabeça (passa a mão e pica-se na linha) e diz que vai continuar a pendurar-se nas cadeira (e eu sei que vai porque as crianças são assim mesmo).

Felizmente esta marca no corpo derivada das diabruras é pequena. Espero que não venha ter muitas mais, mas sei que é dificil, se não impossível, que essas coisas não venham a acontecer. É mais um episódio que ela tem para contar.

2 comentários:

Meg disse...

Querido Marco,
Pois devo ser uma das privilegiadas que não tem nenhum reparo a fazer aos serviço do Hospital de Faro. Com 3 filhos e as respectivas contingências em relação a acidentes vários, só tenho palavras de louvor para a forma como sempre fomos atendidos.
Episódios de gravidade diferente, o atendimento sempre foi o adequado.
O seu a seu dono. Porque é justo.

Um abraço

eu disse...

Sem dúvida alguma o hdf, por norma, funciona bem.
O que interessa é que a minha menina está bem e foi muito bem tratada.
Espero não haver mais episódiios alarmantes mas se houver que seja tão bem tratada como desta vez.
beijos nossos
eu e Dani, claro!