sábado, junho 27, 2009

Fernando Mendes, futebol e doping ...

"Em determinado período da minha carreira cheguei a um clube que tinha uma grande equipa, um belíssimo treinador e um presidente carismático. Para além destas qualidades, existiram outros ingredientes que facilitaram o nosso percurso vitorioso. Devo dizer que antes de ir para este clube nunca tinha tido qualquer experiência com doping (pelo menos conscientemente)"

"No meu tempo, o doping era tomado de duas formas: através de injecção ou por recurso a comprimido. Podia ser antes do jogo, no intervalo, ou com a partida a decorrer, no caso daqueles que saíam do banco (...) A injecção tinha efeito imediato, enquanto os comprimidos precisavam de ser tomados cerca de uma hora antes do jogo"

"Se um jogo fosse ao domingo, o nosso médico sabia na sexta ou no sábado quais as partidas que iriam estar sob a tutela do controlo antidoping. Mal tinha acesso à informação, avisava todo o plantel e o dia de jogo acabava por ser directamente influenciado por essa dica"

"Em determinada temporada (...) sou convocado para um encontro particular da Selecção Nacional. (...) Faço uma primeira parte fantástica, mas ao intervalo começo a sentir-me cansado e tenho medo de não aguentar o ritmo (...) O jogo realiza-se num estádio português (...) Estão lá um médico e um massagista de um clube onde jogo (...) No intervalo, peço a esse médico para me dar uma das suas injecções de doping. Saio do balneário da Selecção, sem que ninguém se aperceba, e entro numa salinha ao lado. É aí que me dão a injecção pedida por mim. Volto a frisar que ninguém da Selecção se apercebeu"

"Lembro-me de um jogo das competições europeias contra uma equipa que tinha três campeões do mundo no seu plantel. Um deles era um poderoso avançado no jogo aéreo. (...) Apanhei-o várias vezes no meu terreno de acção. Ele era um armário, com um tremendo poder de impulsão. Mas nesse dia eu saltei que nem um louco e ganhei-lhe quase todas as bolas de cabeça (...) O meu segredo: uma pequena vacina, do tamanho de meia unha, chamada Pervitin"

(excerto do livro "Jogo Sujo" in Record)

"Passou pelo Sporting, Benfica e FC Porto. Em algum deles, assistiu a práticas de doping?
Não. Não vi nada disso nos “grandes”. Curiosamente, quando fiz este livro, as pessoas pensavam que o alvo disto era o FC Porto e tive o cuidado de explicar que não. Passei a minha carreira toda a ouvir que no FC Porto se fazia isto e aquilo, mas tive o prazer de jogar num clube com pessoas fantásticas. Nunca se falou disso e não ponho em causa a seriedade das pessoas."

(Fernando Mendes em entrevista ao Público)

"Foi o ponto alto da minha carreira, mas a maior mágoa foi ir mais vezes à Selecção quando não jogava no meu clube do que quando jogava. No Porto, por exemplo, fui titular durante três anos e nunca fui convocado."

(Fernando Mendes sobre a Selecção Nacional numa entrevista ao UniversoFutebol)

Vamos lá ver se nos entendemos. Primeiro assume que tomou doping, que esse doping lhe era ministrado pelo masagista, diz que num jogo da Liga dos Campeões usou doping, e depois em entrevista diz que "nunca vi nada disso nos grandes".

Ainda que diga que não viu no FC Porto, agora que nunca viu em nenhum, isso custa-me a acreditar, sabendo que na sua altura não eram assim tantas equipas a jogar na Liga dos Campeões.

Fazendo uma análise ao que foi escrito, e tendo em conta que confessa ter utilizado doping em jogos da selecção, e como ele próprio indica nunca foi convocado para a selecção quando esteve no FC Porto, é fácil confirmar que o uso de doping não foi no FC Porto.

Fica assim no ar saber em qual dos clubes que Fernando Mendes representou lhe foi administrada a dose, e é preciso ter em conta que ele, para além de Sporting, Benfica e FC Porto, jogou também no Boavista, Belenenses, E. Amadora e V. Setúbal.

É uma boa oportunidade de haver mais interacção aqui no blog e de vocês darem a vossa opinião.

7 comentários:

Dexter disse...

"Em determinado período da minha carreira cheguei a um clube que tinha uma grande equipa, um belíssimo treinador e um presidente carismático. Para além destas qualidades, existiram outros ingredientes que facilitaram o nosso percurso vitorioso."

A palavra-chave é percurso vitorioso. Logo, ou se dopou no final da década de 90 no FCPorto que ia à Liga dos Campeões ou no início da década nos anos em que teve no Benfica...embora não me recorde se existia esta competição ou se o Benfica participava nela. Por outro lado, também refere "um Presidente carismático."....

condor disse...

Eu acho que o Fernando Mendes bem que podia limpar os dedos na parede,depois de escrever a merda que escreveu!
Quem é que vocês acham que vai sair com o nome manchado,se é possivel manchá-lo mais?
Até parece que não conhecem o país em que vivem,e a merda de comunicação social que tem!
Ontem no jornal da sic enquanto transmitiam a noticia qual era a imagem de fundo?
Era o Mendes com a camisola do FCP vestida!Jogou em muitos clubes entre os quais os dois "colossos" da capital,podiam exibir a imagem com a camisola de um destes mas não,vem aí cagalhão rolando montanha abaixo?Então inocentemente vamos destacar o FC Porto!

dragao vila pouca disse...

Enfim, qualquer um escreve um livro, até o escarrador!

Um abraço

Anónimo disse...

Vamos lá tentar decifrar isto... Não foi nos grandes, mas foi num clube com trajecto vitorioso e com presença na Liga dos Campeões, dá ideia até de brilharetes... Presidente carismático... Jogo da Selecção no estádio da referida equipa... Por que não o Boavista, o clube que proporcionou o tão falado caso do excesso de cafeína? O Major não foi um presidente carismático? O Boavista não jogou a Champions? Não sei... Só sei que é sempre o FCP que é colocado em cheque... Mas não foi o Benfica que teve, pelo menos, dois jogadores castigados devido a doping, Nuno Assis e, antes disso, Hernâni (muito embora muitos digam que este foi apenas bode expiatório do Mozer)?

Anónimo disse...

"Lembro-me de um jogo das competições europeias contra uma equipa que tinha três campeões do mundo no seu plantel. Um deles era um poderoso avançado no jogo aéreo. (...)

Inter de Milão - Jürgen Klinsmann, Lothar Matthaus, o terceiro não sei

Inter - Boavista 0-0
Boavista - Inter 2-1
Época 91/92

Um abraço,

izolado

freefun0616 disse...

酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,

Anónimo disse...

OS 3 CAMPEÕES DO MUNDO:
Andreas Brehme, Lothar Matthaeus, Juergen Klinsman

O jogo seria Boavista - Inter ou Inter - Boavista.