domingo, agosto 20, 2006

Pedra da Greta.

É a maior zona rochosa de Faro, com uma profundidade mínima de 15 m, máxima de 20 m e uma extensão de aproximadamente uma milha marítima. Esta formação corre paralela à costa e apresenta uma estrutura labiríntica formada por grandes paralelipípedos de pedra. Podem-se distinguir várias zonas muito distintas entre si, segundo o perfil do fundo.
Quanto à fauna, a natureza do fundo faz com que, alojados na rocha, haja uma grande variedade de invertebrados bentónicos, gorgónias, esponjas e alguns falsos corais. Para os mais observadores a os amantes da fotografía macro, existem os pequenos nudibrânquios, um dos motivos de maior interesse. Também é frequente encontrar grandes sargos, pargos, robalos, safios, polvos, moreias e ocasionalmente, anchovas e lirios.
O mergulho inicia-se normalmente na periferia da pedra e seguem-se a corrente e as condições do mar, na direccão este ou oeste, podendo navegar em zig-zag. Dada a condicão labiríntica da rocha é muito fácil despistarmo-nos, pelo que se recomenda atenção e utilização de bússola. (http://www.bichodomar.com).


O mergulho de hoje foi efectuado a 19 metros de profundidade com uma duração de 38 minutos. Apesar de todas as peripécias que aconteceram não se pode dizer que foi mau, mas excelente também não foi.
O dia começou com o carro que ia transportar o barco, um semi rigido que ia ser utilizado desta vez, a ficar sem bateria. Toca de trocar a bateria de um carro para outro para pôr o jipe a trabalhar.
Chegados ao local, as marcas falharam e andámos às voltas a ver se davamos com o fundo de pedra. Às tantas o ferro prendeu e pensamos que já estava. Todos para a água. Chegados lá em baixo surpresa, o fundo era de areia e não se via uma única pedra. Toca de dar à barbatana para ver se descobriamos as pedras.
Pelo caminho uma estrela do mar a andar, linda visão, vários peixe aranhas, bem colados ao fundo e muito perigosos de tocar.
O aparecimento da primeira pedra no nosso caminho, já depois de 20 minutos de imersão, mostrou-nos um polvo entocado. Bem tentei ver se ele se mexia mas devia ser alentejano.
Pouco tempo depois mais umas pedras, era uma aqui, outra ali, mas pelo menos já não era só areia.
De repente lá estava ela, a zona rochosa da pedra da greta. Agora sim alguma coisa para alegrar a vista. E bem bonito que é.
Uma olhada para o manómetro de pressão e .... 50 bar ..... estava na altura de iniciar a subida.
Valeu pela experiência de um mergulho no limite da profundidade permitida para o nível P1 (20 metros).
Para a próxima será melhor, de certeza que será.

6 comentários:

O Chaparro disse...

oi, tdo bem?
acredito que deve ser bem bonito lá por baixo. boa semana

Isabel-F. disse...

Oi Marco,

Deve ser fascinante ver o fundo do mar ... "ao vivo"....

eu não seria capaz... teria medo...

beijinho

nana disse...

já regressámos das terras algarvias!!
;)
bons mergulhos!!

Marco Ferreira disse...

chaparro
Visões que tocam o indescritível. Parabéns pelo teu Benfica.

ruma sempre aqui

Marco Ferreira disse...

isabel-f
É mesmo lindo. Toda a gente é capaz de fazer mergulho, é preciso é querer.

ruma sempre aqui

Marco Ferreira disse...

nana
Espero que as férias tenham sido boas, aqui pelas nossa terras.

ruma sempre aqui