segunda-feira, dezembro 05, 2005

Carjaking


Sexta feira, final de dia e eu no escritório ainda com montes de trabalho para fazer. O tempo passa a correr e eu não vejo a hora de ir para casa para junto da minha familia. É sempre a mesma coisa, quando chego a casa já a minha filha dorme, a mulher já comeu e lá tenho de comer sozinho. Por vezes penso que não vale a pena tanto trabalho, não vale a pena perder o crescimento da minha filha, mas depois acabo sempre por ficar mais um pouco, para acabar mais um trabalho.
Chega!!! Vou para casa. Já é tarde e como estou não adianto mais nada.
Quando chego ao estacionamento encontro-o vazio. Apenas dois carros estão no largo estacionamento. Quem será o coitado que ainda trabalha? Olho para cima e vejo uma luz acessa, apenas uma, e fico feliz, ainda há gente pior do que eu.
Arranco e percorro as ruas quase desertas. O trânsito da "hora de ponta" há muito que já se acabou e a esta hora e com este frio ninguém quer andar na rua, nem mesmo de carro. Mudo de estação, procuro uma música mais alegre, uma música que faça a minha viagem parecer mais curta, mais rápida.
Continuo a percorrer as ruas, cada vez mais desertas, passo cruzamentos e entrocamentos sempre na esperança de me cruzar com os semáforos todos verdes, mas para meu azar eles estão todos contra mim, todos ficam vermelhos.
Numa destas paragens um peão aparece para passar a estrada. Vai a cambalear como se estivesse com os copos. Tanto cambaleia que acaba por se encostar à parte da frente do meu carro. "Que merda!" foi o meu pensamento, mas não tive tempo para mais. No mesmo instante um som vindo da minha janela desperta a minha atenção, olho e vejo outro individuo a bater na janela com uma arma, fico em alerta, percorro com os olhos todas as direcções e de todos os lados aparecem mais individuos.
"Sai do carro" foi a ordem que veio de fora.
Nesta altura milhões de ideias percorreram a minha mente, acelerar era uma delas mas estava fora de hipótese, o sinal ainda estava vermelho e o primeiro individuo ainda estava na frente do meu carro, agora já em perfeito estado e também a empunhar uma arma. Não me restava outra alternativa.
Saí do carro.
Depois foi tudo muito rápido.
Levei um murro, caí no chão e vejo os individuos a entrarem no meu carro e a arrancar com ele.

(Marco Ferreira 05/12/2005)

Esta história não é verídica mas podia ser. Está a acontecer muitas vezes na zona de Lisboa e Porto e é a nova moda para assaltar carros. Os carros estão cada vez mais protegidos contra roubos e a única maneira que os assaltantes encontram para os roubarem é o chamado "carjaking".

Tomem todos muita atenção a esta situação. Não fiquem muito tempo dentro dos carros, andem sempre com as viaturas fechadas e evitem zonas escuras e principalmente tenham atenção com as paragens no semáforos.

As situações más não acontecem apenas aos "outros".

5 comentários:

O Chaparro disse...

Já ouvi falar. Se não se rouba de uma maneira rouba-se de outra. E se por acaso atropelasses o gajo da frente estavas bem lixado, o mesmo gajo que te ia assaltar. Isto tá bonito, tá!

Isabel-F. disse...

Não conhecia esta técnica...

mas foste mesmo assaltado?...não te magoaste?...espero que não...

Bjs

Marco Ferreira disse...

isabel-f

calma, a situação relatada não é veridica, foi inventada para dar enfase ao carjaking.

ruma sempre aqui

Anónimo disse...

That's a great story. Waiting for more. » » »

freefun0616 disse...

酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,